Conversas interdisciplinares sobre ayahuasca e outros psicoativos

Confira como foi o último encontro

7 de abril, 16h

Sobre os participantes

Emilia Sanabria é uma antropóloga franco-colombiana com doutorado pela Universidade de Cambridge e que hoje trabalha no CNRS (Centro Nacional de Pesquisa Científica), em Paris. Conduz trabalho de campo na América Latina desde 2001, examinando a relação entre as (bio)ciências e os conhecimentos indígenas e tradicionais por meio de projetos etnográficos sobre saúde sexual e reprodutiva, nutrição e justiça alimentar e as demarcações entre drogas e medicinas. Desde 2017, é a investigadora principal do projeto “Encontros de Cura [Healing Encounters]: Reinventando uma medicina indígena na clínica e além”, no qual examina práticas de cura que se utilizam da ayahuasca em três locais inter-relacionados: Cidade, Floresta e Laboratório.

Luís Fernando Tófoli é professor de psiquiatria na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Campinas (UNICAMP), onde é membro dos Programas de Pós-Graduação em Ciências Médicas/Saúde Mental e Saúde Coletiva. Coordena o Laboratório de Estudos Interdisciplinares sobre Psicoativos (LEIPSI) e é membro do Conselho Estadual de Política de Drogas do Estado de São Paulo. É o responsável pela Cooperação Interdisciplinar para Pesquisa e Divulgação da Ayahuasca (ICARO) na UNICAMP e tem publicado nos campos de saúde mental, na atenção primária, políticas de drogas e uso de psicodélicos (particularmente a ayahuasca).

Camis Benetido tem doutorado em Sociologia pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), com estudo sobre Santo Daime, gênero e religião. Atualmente, faz parte da equipe Healing Encounters/CNRS e do ICARO/UNICAMP, pesquisando a ciência psicodélica com ayahuasca no Brasil.

Lucas Maia é biólogo, com mestrado (UNIFESP) e doutorado (UNICAMP) em Ciências, nas áreas de psicofarmacologia e saúde mental. Pesquisa efeitos terapêuticos de plantas e substâncias psicoativas. É membro do ICARO/UNICAMP. Co-fundador e coordenador do site Ciência Psicodélica.

SOBRE O ENCONTROS PSICODÉLICOS

Os Encontros Psicodélicos: Conversas interdisciplinares sobre ayahuasca e outros psicoativos são pontes de diálogo entre diversas áreas do conhecimento. A ideia é provocar questionamentos e promover reflexões sobre substâncias psicodélicas e a ciência psicodélica brasileira, com foco na crescente produção científica em torno da ayahuasca — bebida de origem indígena que tem o uso religioso regulamentado no Brasil, e que contribui para colocar o país na vanguarda da ciência psicodélica mundial. 

A intenção dos Encontros Psicodélicos é navegar nesse cenário, mergulhando em suas complexidades e trazendo à superfície temas importantes, como colonialismo, epistemicídio e produção de prova científica, além das particularidades e diferenças entre as várias plantas sagradas, bem como o próprio conceito de psicoativos.

Iniciando em abril, a cada primeira quarta-feira do mês, vamos promover diálogos entre personalidades que trazem contribuições relevantes ao tema. São pensadores de diferentes contextos, saberes e práticas, com olhares que vão para além da academia, tensionando a divisão entre as humanidades e as ciências biomédicas, e refletindo sobre legalidade, ética, militância e política.

Esta é uma proposta conjunta do projeto Healing Encounters (“Encontros de Cura”), sediado no Centre National de la Recherche Scientifique, na França; do Grupo de Pesquisa ICARO (Interdisciplinary Cooperation for Ayahuasca Research and Outreach), sediado na Unicamp; e do portal de divulgação científica Ciência Psicodélica; contando ainda com o apoio do Instituto Chacruna.

Realização:

Apoio:

Ciência Psicodélica © 2021